terça-feira, 2 de junho de 2009

“The House of the Spirits” - “ A Casa dos Espíritos”


The House of the Spirits”, “ A Casa dos Espíritos” filme de 1993, diridido por Billie August, é uma dos mais belos livros da escritora chilena Isabel Allende adaptado para o cinema. Narra a história de três gerações de amores e desilusões na família Trueba e tem como pano de fundo os conflitos políticos que abalaram o Chile culminando com o golpe militar que estabeleceu a ditadura de Augusto Pinochet.
Para melhor entendimento daqueles que ainda não assistiram o filme resolvi dividi-lo em duas partes.
Iniciamos a história na década de 20 com Esteban Trueba (Jeremy Irons) um jovem sem muitas posses pedindo a mão de Rasa (Teri Polo) filha de um político em casamento. Este promete trabalhar duro em busca de riquesas para que possa voltar e se casar com a jovem Rosa. Ainda nesse cenário vemos a pequena Clara (Mamie Gummer) irmã de Rosa se apaixonar por Esteben.
Clara possuía poderes paranormais era capaz de pressentir coisas inexplicáveis e isso acaba ser um tormento em sua vida, já que a menina não conseguiu prever a morte por envenenamento de sua irmã, noiva de Esteben.
Com a morte de Rosa, Eteban junta suas economias e compra uma velha propriedade, Três Marias e durante vinte anos trabalha duro para se tornar um prospero latifundiário.
Com o falecimento de sua mãe, Esteban é obrigado a voltar ao Chile e no velório deslumbra-se com a jovem Clara (Meryl Streep) agora uma moça feita. Imediatamente Eteban pede Clara em casamento e esta aceita.
Logo depois da cerimônia matrimonial, Clara ruma para propriedade de seu marido e lá se torna amiga intima de sua cunhada Ferula (Glenn Close). Essa amizade desde o início irrita Esteban, homem ciumento e possessivo.

Com o passar do tempo Clara engravida e dá a luz a uma menina de nome Blanca (Hannah Taylor-Gordon ).
Esteban porém, não aceita o fato de sua filha nutrir amizades com filhos de trabalhadores da fazenda e a manda para uma escola interna.
Na fase adulta Segunda parte da historia, Blanca que é vivia por Winona Ryder nutre um grande amor por Pedro (Antonio Banderas), um jovem revolucionário que vai contra os desmandos de Esteban em sua propriedade.

O comportamento violento de Esteban com a filha mediante ao seu envolvimento com o jovem revolucionario e com a esposa acaba por distanciá-lo de ambas que partem da fazenda. Blanca terá uma filha de nome Alba com Pedro, que agora passa a liderar fortes movimentos políticos de esquerda no país.
Já em meados da década de 70 o Chile será assolado pela ditadura militar e para não ver a filha, a neta e Pedro serem mortos, Esteban acaba revendo seus conceitos políticos e sociais.

O filho bastardo de Esteban, fruto de um estupro cometido pelo fazendeiro a uma de suas empregadas terá grande importância no decorrer da história.
Existem cenas neste filme que palavras não conseguirão nunca expressar, como a volta de Blanca de uma base militar depois de dias torturas abraçando seu pai já idoso e arrependido da postura dominadora e patriarcal que exerceu sobre a família durante tantos anos.
O apoio dado por Esteban para o exilio e Pedro no Canadá e a própria morte de Clara.
Vale destacar que este é um dos últimos bons papeis de Antonio Bandeiras, depois disso ( na minha opinião), ele passou a fazer filmes mais comerciais. Gostava muito de Banderas com Pedro Almodóvar.
Winona Ryder está em um de seus melhores momentos com uma atuação verdadeiramente comovente e emocionante
Meryl Streep e Glenn Close na primeira fase da história roubam a cena em vários momentos.
Por fim destaco o impecável trabalho de Jeremy Irons, nos fazendo odiá-la, admirá-lo e até mesmo amá-lo.
Como curiosidade vale destar:
Isabel Allende autora do romance, é sobrinha do falecido presidente Chileno deposto Salvador Allende.
Em 1981, quando Isabel Allende soube que o seu avô se encontrava moribundo, começou a escrever uma carta de despedida para ele. A partir do momento em que as palavras começaram a ser derramadas, nada mais as conteve. Quando finalmente tomou fôlego, Allende deparou-se com 500 páginas manuscritas que se tornaram o seu primeiro romance, A Casa dos Espíritos.
Clara, Blanca e Alba nomes cujo significado intrínseco apontam a Luz como dominante – são mulheres fortes que lutam pelo que acreditam.
Nos cinemas foi exibida uma versão de A Casa dos Espíritos que continha apenas 138 minutos, em DVD porem, pode-se assistir o filme com 150 minutos.


3 comentários:

Pedrita disse...

esse filme é muito lindo! beijos, pedrita

Ana S. disse...

Oi Júnia!
Gostei da sua dica sobre o filme.
Beijos

André C. disse...

Oi Júnia!
Aí está um filme que nunca acabei de ver. E nem lembro o motivo, talvez eu ainda fosse um piá meio bobinho, com 15 anos...
Um dia preciso rever!

Até,
André C.